Menu fechado

Por Simone Cunha e Natália Oyafuso da Cruz

Radioterapia: princípios básicos e uso na veterinária

VEJA DIFERENÇAS ENTRE OS TIPOS DE RADIAÇÃO, EFEITOS COLATERAIS E COMO PLANEJAR O MELHOR TRATAMENTO AO PACIENTE

Unidade de Radioterapia da rede de Hospitais Veterinários Pet Care: equipamento é igual ao utilizado em tratamento de câncer humano. Trata-se do acelerador linear (Clinac 600D-Varian), capaz de tratar tumores mais profundos e distribuir as doses de radiação de forma mais homogênea diminuindo assim os efeitos colaterais. A máquina tem a capacidade de atingir somente o tumor e não tecidos e órgãos colaterais, tornando assim o método altamente eficiente e aumentando as chances de cura. - Foto: Arquivo Hospital Pet Care

A radioterapia é uma modalidade de tratamento oncológico indicada, principalmente, para o controle da neoplasia primária (para tratar tumores localizados cuja cirurgia oncológica não é possível, ou como tratamento adjuvante para tumores ressecados de forma incompleta). No entanto, também pode ser indicada de forma paliativa em pacientes com neoplasias avançadas e/ou metastáticas, para reduzir parcialmente o volume tumoral e auxiliar no controle da dor oncológica.

É importante ressaltar que a radioterapia, sempre que necessário, pode ser combinada a outras modalidades de tratamento oncológico, como a cirurgia ou a quimioterapia.

Seja bem-vindo(a) leitor(a)!
Ainda não é assinante?

Assine agora e tenha acesso ilimitado a todas as materias de todas as edições da revista Medicina Veterinária em Foco!

Assinar